Alunos com síndrome de Down concluem curso de informática em escola regular

A escola de informática CBI se despediu de uma turma muito especial. Depois de um ano de aprendizado, alunos com síndrome de Down receberam o certificado de conclusão de curso.

Os formandos sãos atendidos pela Associação Amigos Especiais de Limeira (AEL), que ofereceu as aulas gratuitamente em busca de corrigir uma lacuna existente entre a pessoa com síndrome de Down e o mercado de trabalho. 

Mônica Zanetti Pereira, de 24 anos, é uma das formandas. “Ganhei diploma e fiquei muito feliz. O curso foi muito bom”, contou. Caio Zanetti, de 23 anos, também concluiu o curso. “Ele acordava animado às quartas-feiras porque sabia que era dia da aula de informática. Foi assim durante todo o curso”, contou Claudia Gomes Zanetti, mãe de Caio.

Mas a emoção não ficou apenas por conta dos alunos e dos pais. A professora se despediu comovida. “Eles vieram aprender, mas quem aprendeu fui eu. Agradeço a oportunidade de ser um agente modificador. Sou melhor agora que conheci eles”, afirmou Mayara Marin.

O computador é uma ferramenta que auxilia na superação das dificuldades cognitivas e motoras da pessoa com síndrome de Down. O aluno desenvolve as habilidades intelectuais e se sente incluído em uma sociedade na qual a tecnologia se faz presente por todos os lados.

Durante o curso, os alunos interagiram uns como os outros, com a professora e com os equipamentos. O trabalho foi focado no respeito aos limites de cada um e tempo de aprendizado.

Uma das surpresas do curso foi a chegada de uma aluna sem síndrome de Down. A mãe, Daiane Bispo, precisou matricula-la na aula informática para que pudesse acompanhar melhor o curso de inglês. Quando Maria Eduarda conheceu os atendidos da AEL, não quis mais continuar na turma em que estava.